Wednesday, November 22, 2006

FALA
alguém bate à minha porta
sem a força
de quem tem vontade de entrar
sem a força
de quem tem vontade de encontrar

abro lentamente e vejo que é você
nossas palavras sobrepostas,
risos e beijos de outrora
dão lugar ao ranger da dobradiça
e à chuva que começa a desabar
nos meus olhos agora

apenas deixei você entrar
ao invés de convidar

mesmo assim, presto atenção
nos que os seus lábios trêmulos
se esforçam em pronunciar

de tudo o que eu consegui decifrar
eu tive medo é das palavras
que você não disse.

Tuesday, November 21, 2006

ME EMPRESTA?
Adoro emprestar minhas coisas para você. Porque quando as recebo de volta, tenho a esperança de que elas venham acompanhadas de pequenos vestígios seus. Que seja um resquício de perfume na capa do disco, um fio de cabelo no blusão de lã e quem sabe até um recado escondido no livro. É isso. Procuro romantismo até mesmo nos livros de ficção científica.

Tuesday, November 14, 2006

MEUS PRÓPRIOS PALÍNDROMOS V
(se você não sabe o que são palíndromos, leia de trás p/ frente)

O MITO É ÓTIMO

ME GIRO À MÁ ORIGEM

ANIMA A ALUNA E ANULA A MINA.

ARRETA A TARA BARATA À TERRA

IAC! SOLUÇO E OCULOS CAI
BOM DIA
ANTES MESMO DE ABRIR OS OLHOS,
O SOM DA CHUVA NO TELHADO DE ZINCO ANUNCIA:
A PREVISÃO É DE UM DIA ÚMIDO,
CINZA, COM UM POUCO DE MELANCOLIA
MAS QUANDO O DIA NASCE ASSIM, IMPERFEITO
É QUE NASCE A POESIA.