Tuesday, February 15, 2005

A TENTATIVA FRUSTRADA DE DERRUBAR O MONUMENTO.
Sábado, dez para as onze. O moço grande chegou no Parque Farroupilha para correr e, assim, acordar os músculos encolhidos pelo frio daquela gélida semana de agosto. As crianças, acordadas desde cedo, já estavam há horas tomando sol, andando de bicicleta, brincando de pega-pega ou jogando bola na grama com cheiro de recém cortada.
E foi em frente a um dos principais pontos de referência do parque, o Monumento ao Expedicionário, que o menino encontrou o moço grande. O monumento é uma homenagem aos pracinhas brasileiros que foram à Segunda Guerra Mundial, semelhante ao Arco do Triunfo, porém com duas aberturas internas.
O moço, recém chegado, ainda bocejando, como de praxe, apoiou-se no monumento para fazer seus exercícios de alongamento. Alongou o músculo posterior da coxa. Depois, começou a alongar a panturrilha que, para ser alongada, a pessoa deve pôr um pé à frete do outro e "empurrar" a parede que está à sua frente (no caso, o monumento). E lá estava o moço grande, exatemente nesta posição, quando chegou o menino. Aparentemente com seus 4 anos, o menino loirinho com uma bola do Grêmio embaixo do braço foi logo perguntando:
- tio, tu tá tentando empurrar isso aí?
E, balançando a cabeça, avisou:
- tu não vai conseguir...
O moço grande deu um sorriso para o menino e continuou a alongar. Agora, a perna esquerda. Quando o menino o interrompeu novamente:
- ah, já sei... tu tá fazendo ginástica, né?
Largou a bola no chão e pôs-se ao lado do moço grande, imitando o alongamento na sua pequena panturrilha.