Wednesday, September 15, 2004

SOM PORTÁTIL
Para onde quer que fosse, o menino levava sua caixinha de música. Que na verdade não tinha mais uma caixinha que a envolvia. Era só aquele amontoado de engrenagens se movendo em direções contrárias para tocar sempre a mesma música. O menino cresceu, saiu de casa e foi morar na cidade grande, onde os prédios e as pessoas só se abraçam através das suas sombras. Arranjou emprego de homem sério. Porque como a mãe dele dizia, homens sérios usam paletó. No bolso direito, a velha caixinha de música com a mola já desgastada pelo tempo e pelo uso. E quanto mais lenta ficava a música, mais ele sentia falta da bailarina que havia perdido anos atrás.

No comments: