Wednesday, June 30, 2004

ENTÃO EU COMPREI UMA GAITA DE BOCA
Mas ela insiste em esconder de mim as notas musicais em cada um dos seus buraquinhos, toquinhas de rato enfileiradas. Eu fico do lado de fora, quieto, parado e atento, aguardando uma oportunidade para dar o bote e devorá-las. Mas elas só saem pelo outro lado e sempre me escapam. Porque elas voam e logo entram em outra toca, o ouvido das pessoas. Entram correndo, desviam do martelo e fogem da bigorna. Perseguições de gato e rato sempre têm andaimes, explosivos e bigornas. Então a bigorna cai, faz aquele barulhão em dó e some antes que chegue outra nota em busca de ferrolho. Um dia eu ainda decoro onde cada uma delas se esconde do meu bafo de cachaça e toco um blues pra você.

No comments: