Monday, March 15, 2004

SOBRE POODELS
Eu odeio poodles. Eu e muita gente nesse mundo. Mas há quem goste. Muita gente. Há quem inexplicavelmente ame-os. Sempre que vejo um exemplar dessa abominável raça me questiono basicamente sobre duas coisas. 1) por que raios uma pessoa vem a ter um poodle? 2) como é o habitat natural dos poodles?
Claro, o segundo questionamento é muito mais complexo que o primeiro. Porque todo o cão tem a sua história, a sua origem e as suas peculiaridades. O pastor alemão, por exemplo, certamente tem esse nome devido à sua utilidade nas pastagens verdes da Alemanha (ou você pensou que fosse uma homenagem a algum pastor evangélico de origem germânica?). O husky siberiano, um bravo puxador de trenós da Sibéria. O cocker, um exímio assistente dos caçadores de aves. E assim por diante. Mas e o poodle? O que fazia? Qual a sua função? Que lugar ele ocupa numa cadeia alimentar? Malditos poodles, a que vocês vieram ao mundo?

- moço?
- oi?
- o senhor não viu um cachorrinho perdido por aí?
- não. como ele é?
- é um poodle branco, mais ou menos desse tamanho assim, ó. Tem 8 meses, atende pelo nome de Chayanne e tem um lacinho rosa na cabeça.
- ah, certo. Mas não vi não.

Por uma fração de segundos pensei em perguntar o telefone dela, caso eu achasse a tal Chayanne. Era uma ótima deixa, uma oportunidade de conseguir o telefone da moça, que não era de se jogar fora. Mas deixei por isso mesmo e segui meu rumo. Sério. Não ia valer a pena. Uma pessoa que tem (ou tinha) uma poodle chamada Chayanne? Boa pessoa não devia ser.

Mas fiquei pensando na descrição do bicho. Poodle branco, nem grande nem pequeno, com um lacinho rosa na cabeça. Básico. Óbvio. Poderia ser qualquer um poodle, o primeiro que eu encontrasse na rua. Era como pedir pra alguém encontrar um japonês de olhos puxados, estatura mediana, cabelos pretos e lisos, que atendia pelo nome Tanaka. No centro de Tóquio. Ou em São Paulo mesmo.

Voltando à origem do cão, eu hei de pesquisar e descobrir. Mas por hora a minha intuição me diz que o poodle é uma raça geneticamente concebida, obtida por meio da cruza entre os genes de um cusco qualquer e uma estopa. Um produto inventado pelos yankees, lançado com o intuito de atender a uma necessidade latente (terrível esse trocadilho!) do mercado. Um produto fabricado em série que invadiu as petshops e conquistou o coração das madames carentes. Por isso é que eles são todos iguais. O poodle nada mais é do que um mini-me-feliz das madamas, travestido de cão. O que é uma total falta de respeito com os cães dignos de receberem o título de "melhor amigo do homem".

Em todo caso, se alguém ver um poodle branco perdido por aí não custa chamá-lo de Chayanne. Vai que rola uma recompensa.

1 comment:

doida said...

UMA ESTORIA BURRA EMBECIO
VC E MUITO IDIOTAAAA